Principal
Banner

postheadericon Setembro Amarelo chega ao fim, mas Saúde Mental segue forte

 

 

Pela valorização da vida e no encontro entre profissionais da Saúde Mental, a programação do Setembro Amarelo foi finalizada, no dia 30/09, com evento "Mulheres em Rede", na Sala Nelson Pereira dos Santos, no Gragoatá, com as mulheres que trabalham nos dispositivos da rede.


O Setembro Amarelo visa a conscientização sobre o suicídio e mobilizou as unidades e equipes da saúde municipal para tratar com toda a cautela e atenção que o assunto exige.

“O objetivo é relevar a importância dos investimentos em fatores de proteção e prevenção ao suicídio e o fortalecimento das redes de apoio. A garantia de direitos como o trabalho, lazer e educação, são fundamentais para produção de vidas saudáveis”, afirma Mirian Ribeiro, gerente de Atenção Psicossocial da Fundação Estatal de Saúde (FeSaúde), que apresentou a cerimônia.

No palco, foram convidadas para compartilharem suas experiências: Paloma Lima, vice coordenadora do Mulherio (UFF); Vanusa Santos, redutora de danos do Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Outras Drogas (CAPS AD Alameda); e as musicistas do grupo Um Amô Talita Santos e Mariana Braga.

O projeto da UFF Mulherio trata da questão da violência de gênero e Paloma trouxe um texto que versou sobre a diversidade das vivências das mulheres e a necessidade de construção de elos. Já Vanusa Santos tratou das dificuldades da mulher com vícios em procurar o CAPS AD, alertando sobre a importância do profissional de saúde perceber sinais de seus usuários nas unidades para o encaminhamento ao cuidado psicossocial.

Talita e Mariana comentaram a presença da mulher no samba, na superação do machismo e servindo de inspiração para outras mulheres que procuram se expressar na arte e na música. Ao final das falas e da interação com as demais presentes na plateia, as artistas tocaram músicas de Sandra de Sá e Iza para alegria dos presentes.

Segundo Anamaria Schneider, diretora-geral da FeSaúde que recentemente passou a fazer a gestão da rede de Saúde Mental: “Promovemos neste mês ações que estimulam a prática dos fatores protetivos à vida, valorizando o serviço humanizado na ponta para todos que precisam da Rede de Atenção Psicossocial (RAPS)”.

Em sintonia, o secretário municipal de saúde, Rodrigo Oliveira, deixa como reflexão: "Pensar em saúde pública e intervenções sobre corpo tem relação em manter constante o debate público e democrático sobre o que devemos construir enquanto sociedade, em um sistema de saúde que supere os preconceitos e opressões cotidianos".

O evento contou com a presença da primeira dama de Niterói, Christa Vogel Grael; a subsecretária de Gestão de Redes, Maria Angélica Duarte, e representantes de diversos coletivos, ONGs e parceiros da rede de Saúde Mental, como Orquestra da Grota, Unidos do Viradouro, Nova Geração, Sempre Criança, Sorrindo e Batucando, Projeto Grael, Codim - Coordenadoria de Políticas e Direitos das Mulheres, Secretaria de Assistência Social, Programa Médico de Família e Conselho Municipal de Saúde.

 

Também teve futebolOutras atividades na última semana de Setembro, foi o 1º Torneio Amarelo de Futebol no clube da Associação Fluminense dos Trabalhadores de Águas e Esgotos (AFTAE), no Centro. Organizado pela FeSaúde e Consultório na Rua, reuniu 6 times entre profissionais, usuários da Saúde Mental e moradores em situação de rua. Os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) estavam presentes, bem como a Sala de Situação em Saúde e dispositivos da Assistência Social (como o CentroPop). A recreação promoveu atividade física e interatividade entre a rede, seguindo a linha de valorização da vida defendida pelo Setembro Amarelo.

O evento contou com a presença do deputado federal Chico D’Angelo, que elogiou a iniciativa: “Tenho muito orgulho de ter sido o responsável por implementar o primeiro Caps AD de Niterói quando fui secretário municipal de saúde, no período de 2002 e 2006. Parabenizo o prefeito Axel Grael, o secretário Rodrigo Oliveira e a Anamaria Schneider por essa bela ação. A saúde dos niteroienses está em boas mãos”.


SAMU Metropolitana 2 também realiza eventos – Atento com a causa, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU 192) da Metropolitana II também se mobilizou pela causa. Na quarta-feira, 29, o médico intervencionista, Alex Kambrech, realizou a palestra “SAMU: um brado pela vida”, na base de Niterói, no Fonseca. Formado pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e aluno do terceiro ano do Programa de Residência Médica em Psiquiatria da Marinha do Brasil, o médico falou sobre preservação e valorização da vida.


Já a Central, que unifica Niterói e os outros 6 municípios da Metro 2 (São Gonçalo, Itaboraí, Tanguá, Rio Bonito, Silva Jardim, Maricá) realizou um encontro na quinta-feira, 30, para tratar do “Notifica SAMU”, o registro eficaz e detalhado sobre as tentativas de suicídio que chegam na rede. Profissionais das bases se encontraram e trocaram informações sobre o trabalho nesta problemática, focando na questão das estratégias de prevenção. A médica e professora titular (Saúde Coletiva UFF), Anna Alice Amorim, também realizou uma palestra de valorização à vida, muito elogiada pelos presentes.

 

 

 

 


 
DIGITE SUA BUSCA
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner