Principal

postheadericon Prevenção à obesidade infantil é tema de novo programa de saúde

 

 

A Prefeitura de Niterói, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, de Niterói e o Instituto Desiderata assinaram um termo de cooperação para a implementação de uma linha de cuidados para apoiar a prevenção e manejo da obesidade infantil na cidade, em uma iniciativa inovadora no país. O projeto pretende criar protocolos de atendimento que irão orientar os profissionais do Sistema Único de Saúde sobre as condutas a serem seguidas dentro da rede de saúde para a prevenção, acolhimento e cuidado com a obesidade infantojuvenil.

No evento, estavam presentes o secretário municipal de Saúde, Rodrigo Oliveira, a subsecretária de Redes Maria Angélica Duarte, a diretora do Hospital Municipal Getúlio Vargas Filho, Elaine López, o assessor da subsecretaria de planejamento, Gilson Andrade, a assessora da Sala de Situação, Ciane Rodrigues, gerente de projetos do Desiderata, Raphael Barreto, o consultor de nutrição do Desiderata Hugo Marques.

De acordo com Raphael Barreto, gerente de projetos do Desiderata, o objetivo é ofertar ações e serviços de saúde de forma integrada e harmônica nos diferentes pontos da Rede de Atenção à Saúde (RAS). Entre as ações do plano de trabalho estão a formação de um Grupo de Trabalho (GT) com atores-chave no cuidado a crianças e adolescentes da cidade, a realização de diagnósticos epidemiológicos e de equipamentos sociais (como parques, áreas de lazer, lanchonetes) em cada uma das regiões de saúde, sensibilização de educação permanente com oferta de cursos de qualificação para os profissionais da Atenção Primária à Saúde (APS).

“A implementação desta linha de cuidado é de grande importância para prevenção e promoção à saúde das crianças e adolescentes. Esta é uma das medidas do Plano Municipal de Saúde para o ano de 2022”, declara o secretário municipal de saúde de Niterói, Rodrigo Oliveira.

O Brasil vive atualmente uma epidemia de obesidade infantil que se reflete nos índices da cidade de Niterói. De acordo com dados do Panorama da Obesidade Infantil, cerca de 37% das crianças e adolescentes atendidos na Atenção Primária do município apresentaram excesso de peso em 2020.

 
DIGITE SUA BUSCA