Principal

postheadericon Profissionais são capacitados em gestão de dados sobre Sífilis

 

 

Capacitar a rede para melhor atender! Como parte do projeto “Sífilis Não”, na segunda-feira (20/06), profissionais da rede pública de saúde de Niterói receberam instruções na Unilasalle sobre o sistema SALUS de cadastro de pessoas com Sífilis. Esta infecção sexualmente transmissível é uma preocupação de todos/as e a sua forma Congênita, quando a mãe transmite ao filho, é especialmente perigosa.


A capacitação visa qualificar a classificação e o acesso aos dados dos pacientes diagnosticados com maior rapidez. Melhorando esse fluxo, melhora-se o atendimento.


Na instrução, foram dados o passo-a-passo do cadastro no sistema. Primeiramente, deve-se indicar em uma lista de 22 variações, o tipo de Sífilis do paciente. Ao que sucede: classificação clínica; se está sintomático; se teve antecedentes ou reinfecções. Ao final de todo registro é possível gerar um documento do Sistema de Informação de Agravo de Notificações, o SINAM, que era cadastrado manualmente.


SINAM efetuado, passa-se por todo monitoramento e plano terapêutico para o melhor tratamento possível. Normalmente, o procedimento padrão é a administração da Penicilina G Benzatina em 3 doses e a realização do exame VDRL.


O portal ainda tem um central de alertas sobre o paciente, gera relatórios e tabelas. É estimulado também a busca ativa, que identifica mudanças de endereço do paciente, por exemplo.


“Buscamos, assim, a maior integração entre a Vigilância Epidemiológica e os serviços da Atenção Básica”, afirmou o pesquisador Nicolas Veras (LAIS/UFRN)

“O Combate à Sífilis tem sido um desafio para a saúde pública. E, desde 2017, o Ministério da Saúde investiu no projeto “Sífilis Não”, para evidenciar as situações que estão dificultando o combate à doença. Com o treinamento vamos conseguir monitorar os casos, saber se as doses são adequadas, se o atendimento foi realizado, se é uma reinfecção… Podemos ter todo o monitoramento desde a Atenção Primária até a maternidade”, afirmou a subsecretária de Redes, Maria Angélica Duarte.


Parceria - A Secretaria Municipal de Saúde de Niterói entrou em cooperação técnica com o Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (LAIS) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), que ministra o curso, em parceria com o Ministério da Saúde e a Organização Pan-Americana da Saúde. A OPAS é promotora da erradicação da Sífilis Congênita. No início da apresentação, foi exibido um vídeo com outras ações de saúde da LAIS/UFRN como o Regula RN, que agilizou leitos de pacientes de Covid-19. As ações em vídeo da instituição podem ser acompanhadas no endereço: www.youtube.com/c/LaisHuol

 

 


 
DIGITE SUA BUSCA
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner