Principal
Banner

postheadericon Mostra Getulinho promove troca de experiências

No dia em que se comemorava os 64 anos do Hospital Pediátrico Getúlio Vargas Filho (Getulinho), na quinta (27), a Fundação Municipal de Saúde em parceria com a Universidade Federal Fluminense (UFF) realizaram a Mostra Getulinho: Atender e Cuidar, em que profissionais, estudantes e professores se reuniram para apresentar estudos de casos de atendimento de crianças e adolescentes.

 

 

 

Servidores da unidade compartilharam experiências de trabalho nos seguintes temas: a presença da psicologia no tratamento de envenenamento; o Serviço de Arquivo Médico que ordena os prontuários; o problema do sub-registro de nascimentos; o Serviço de Orientação ao Usuário, espécie de ouvidoria; a incidência de agravos de notificação; e o preparo dos familiares para alta hospitalar com uso de antibiótico.

 

Tratando da questão da Síndrome da Zika Congênita, a arbovirose transmitida de mãe para o filho que desenvolve microcefalia e outras deformações neurológicas, estudantes de medicina da UFF trouxeram trabalhos sobre o tema: Laís Sales e Paulo Leandro Pangel alertaram que a Zika nem sempre se manifesta com manchas, o que necessita atenção do profissional de saúde; enquanto Pitter Dias lembrou que a Zika pode ser transmitida sexualmente, o que prevê cuidado aos casais que pretendem ter filho. Complementando, Patricia de Paula, fonoaudióloga do Hospital Universitário Antonio Pedro (HUAP), discorreu sobre o tratamento de gastrotomia (GTT) para as crianças com microcefalia que apresentam disfagia, com engasgos e tosses. “Com o GTT, há uma redução das internações e a criança recupera o peso ideal”, afirmou. A apresentação final foi dada por Claudia Marcia, coordenadora do Programa de Saúde na Escola da Policlínica Guilherme March do Fonseca, junto com os estagiários Mikael Viegas e Luana Ribeiro, estudantes de Serviço Social da UFF.

 

Atuando com mais de 180 alunos de escolas públicas, eles abordaram o tema da violência, através de atividades lúdicas como vídeo e teatro. Segundo o diretor da unidade, Rodrigo Oliveira, essa integração com a UFF é fundamental: "é um processo de diálogo que une quem está fora do Getulinho, fornecendo esse espaço para promover a integração". Convidada para a Mostra, a liderança comunitária do Caramujo, Andrea Gonçalves, elogiou esse momento de aprendizado: “Quando eu vejo o cuidado de vocês, após essas apresentações, eu percebo que a saúde tem jeito, porque vocês se dedicam e se preocupam com os pacientes”. O evento ainda contou com a presença da secretária de saúde Maria Célia Vasconcellos e do vice-presidente de atenção hospitalar (VIPAHE) Ramon Sánchez.

 

 

 

 

 

 

 

 
Banner
Banner
DIGITE SUA BUSCA
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner