Principal

postheadericon Seminário do Samu da Metropolitana II - 2018

Samu-18

Nas comemorações dos 15 anos da Política Nacional de Atenção às Urgências, o Serviço de Assistência Móvel de Urgência (Samu 192), da Região Metropolitana II, realizou seu 14º seminário anual nesta terça-feira, 18, com mais de 100 inscritos. O evento aconteceu no auditório Nelly Cantelmo do Hospital Municipal Carlos Tortelly (HMCT), no Centro. O objetivo foi atualizar e ampliar a capacitação dos samuzeiros, termo carinhosamente dado aos socorristas que prestam um serviço essencial em Niterói e nos outros seis municípios que compõem a regional – São Gonçalo, Maricá, Itaboraí, Tanguá, Rio Bonito e Silva Jardim: a preservação da vida humana.


Na primeira exposição, Cibele Cristina tratou do cuidado com os traumas que podem levar à hemorragia e à morte. Dentre os assuntos abordados, foi tratada a importância do controle da hemorragia por lençol ou cinta quando há trauma de pelve – um dos traumas mais graves; bem como a prevenção da hipotermia desligando o ar-condicionado da ambulância; e a preocupação em verificar os sinais vitais do paciente e encaminhar para o melhor diagnóstico e tratamento possível.


“Se o suporte básico da equipe que chega primeiro no local do acidente estiver bem treinado há um ótimo potencial de cura. A equipe faz diferenças na vida das pessoas através de medidas intervencionistas que reduzem sequelas e aumentam a probabilidade de ressuscitação”, afirmou.


Na segunda mesa, José Henrique Marques falou sobre o salvamento em acidentes com veículos. Segundo ele, o socorrista deve ser ágil em atender a vítima ao mesmo momento que analisa a cena do acidente, o tipo de colisão e os possíveis riscos no atendimento.


“Temos que ter a noção de que devemos chegar ao hospital o mais rápido possível, com o paciente estabilizado, controlando seus sinais vitais e utilizando de instrumentos como o colar cervical quando necessário”, explicou.


Dando continuidade, representando a secretária de saúde de Niterói, Maria Célia Vasconcellos, o vice-presidente de Atenção Hospitalar e Emergência (Vipahe) do município, Ramon Sanchéz, dividiu a mesa com Olavo Santos Cabral, coordenador-geral do Samu Metropolitana II e Eduardo Lenini, coordenador estadual de Urgência e Emergência.


Em seus discursos, a saudação pelo serviço prestado pelos samuzeiros: “Reconheço aqui vários companheiros que trabalharam comigo seja na Central de Regulação (que recebe as ligações do 192), seja nas ambulâncias, salvando vidas em um trabalho de grande aprendizado e que a sociedade tanto respeita”, enalteceu Ramon.


Na mesa seguinte, a enfermeira Lilian Prates trouxe as novidades do ATLS (Suporte Avançado de Vida no Trauma) programa americano que preconiza o atendimento adequado em situações de traumas. “Quando o paciente está inconsciente, temos no máximo 30 segundos para salvar aquela vida, então devemos estar atualizados com as técnicas de massagem e desfibramento”, explicou.


Como integrante da Comissão Nacional de Urgência e Emergência e do Conselho Federal de Enfermagem, Lilian aproveitou para convocar os presentes a participarem da consulta pública do Ministério da Saúde que vai atualizar o protocolo de atendimento dos socorristas.


No intervalo entre as mesas, a organizadora do evento e responsável pela Coordenação Regional de Educação Permanente do Samu, Olguimar Dias, presenteou com uma ambulância de brinquedo e certificados os coordenadores das sete regionais do serviço. Na ocasião, ela sintetizou a importância do seminário: “é um investimento na capacitação e treinamento dos nossos condutores, técnicos, enfermeiros e médicos que hoje estão aqui para serem homenageados nessa celebração perto do Natal e também para aprenderam ainda mais com essa troca de informações e experiências”.


Setembro Amarelo


Na mesa “Vigilância e Notificação dos Casos de Tentativas de Suicídios no Samu da Metro II”, que também relembrou as ações do Setembro Amarelo, a psicóloga Danielle Flávia Oliveira Queiroz abordou a depressão: “90% dos suicídios tem como causa os transtornos mentais. O Brasil é líder nas Américas e quinto no mundo em casos de depressão e o oitavo em suicídios”.


Para o Coordenador de Saúde Mental de Niterói, psicólogo Carlos Castro Luz, informou que o suicídio é a 10ª causa de morte entre a população brasileira, sendo que 59,6% dos casos ocorrem em mulheres na faixa etária de 10 a 19 anos.


A enfermeira Hérica Hodighieri apresentou os dados estatísticos do primeiro ano de vigilância das tentativas de suicídio atendidas pela Central de Regulação do Samu. Segundo a pesquisa, de janeiro a dezembro deste ano, foram 136 casos registrados no município, em mulheres na faixa etária dos 30 aos 39 anos.


No encerramento, o enfermeiro e instrutor do Samu, José Henriques, divulgou os resultados de uma pesquisa feita entre os 141 profissionais, por meio de um aplicativo para telefonia móvel. Do total, 56 são enfermeiros e 85 são técnicos de enfermagem. Um dado que chamou atenção é que 53% dos entrevistados têm curso de Pós-Graduação e 67% estão fazendo algum curso de capacitação.


Ainda durante o evento, Olavo Cabral e um grupo de profissionais foram homenageados pelo relevante serviço prestado às vítimas do deslizamento de uma pedra na comunidade da Boa Esperança, em Piratininga, em novembro deste ano.

 

 

 

 


 
Banner
Banner
DIGITE SUA BUSCA
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner