Principal

postheadericon Celebração da Enfermagem na Engenhoca e Fonseca

IMG_20190514_155415051

 

Fez-se início a série de eventos pela Semana Nacional de Enfermagem e do Serviço Social em Niterói. Na última terça-feira (14), as Policlínicas Regionais Dr. Renato Silva (Engenhoca) e Dr. Guilherme March (Fonseca) realizaram atividades direcionadas aos seus profissionais para celebrar a data.


Às 14h, a equipe de enfermagem e assistência social da Policlínica da Engenhoca se reuniu na palestra com dinâmicas interativas com a psicóloga da unidade, Aline Bernardes. O tema abordado foi a busca do melhor equilíbrio entre a vida profissional e pessoal.


"Sabemos que o trabalho na saúde pode ser muito estressante, então temos que cuidar de nossas emoções, de não trazer problemas de casa para o trabalho e de manter relações saudáveis e profissionais", afirmou Aline, lembrando que pela particularidade no cuidado do outro não é a toa que o Dia Internacional da Enfermagem é comemorado no dia 12, mesma data do Dia das Mães.


Realizando dinâmicas com as participantes, Aline procurou incentivar a reflexão sobre superar dificuldades, praticar o amor próprio, verbalizar os sentimentos e determinar objetivos e prioridades. Ao final, após todas participantes se abraçarem, Vanda da Silva, técnica de enfermagem há 5 anos na unidade, nos relatou: "gostei muito do evento, palestras assim são importantes para abrir nossos horizontes".


"Esse evento surge da necessidade da valorização dos profissionais de enfermagem e assistência social e do reconhecimento dessas categorias fundamentais para a saúde pública", afirmou Luciana Agra, diretora da Policlínica, que ao final solicitou à psicóloga Aline a realização mensal ou quinzenal desse tipo de encontro entre os profissionais.


A atividade deu sequência à programação que começou na segunda-feira (13), quando gestoras de outras unidades de saúde da Zona Norte trocaram informações e experiências sobre seus trabalhos. À convite de Luciana, Adriana Lima (Unidade Básica da Engenhoca), Paola Console (Policlínica do Barreto) e Marilza Miranda (Médico de Família da Regional Norte) enalteceram o trabalho em parceria.


Também na segunda, os enfermeiros Jorge Saldanha e Simone Netto realizaram uma palestra sobre a sistematização da profissão e suas atribuições, como o acompanhamento da evolução do paciente, o uso dos registros e organização de acordo com as escalas de horário e o material disponível.


Fonseca realiza roda de conversa


Em moldes parecidos, a Policlínica Regional Dr. Guilherme March, no Fonseca, realizou uma roda de conversa dentro do contexto desta semana comemorativa para troca de experiências sobre dois ambulatórios de extrema importância na unidade: o de HIV/Aids e o recém-criado de Saúde Mental.


Após a apresentação dos cerca de 40 profissionais da unidade presentes no evento, a médica infectologista Sandra Barreiro expôs sobre o trabalho no ambulatório de HIV/Aids. Após o diagnóstico da doença, com resultados mais céleres após a adoção dos testes rápidos nas unidades de saúde, o portador do vírus recebe orientação humanizada combinado à assistência para a família de como seguir no tratamento. A partir daí, a unidade acompanha o paciente, fornecendo gratuitamente as três medicações de antirretrovirais a serem tomadas por toda a vida pelo usuário.


"O papel da enfermagem nesse processo é fundamental, porque é a porta de entrada nesse acolhimento", afirmou Sandra, lembrando do cuidado com as grávidas soropositivas, que quando tratadas de maneira eficaz não passam a carga viral aos filhos. Outro alerta foi em relação à junção da Aids com a Tuberculose: "por conta da medicação afetar o fígado, o ideal é tratar a tuberculose antes de iniciar o tratamento contra o HIV". Os participantes debateram questões como a responsabilidade de avisar o parceiro após confirmação da doença e a superação do preconceito e estigmas sobre a doença. "A vida da pessoa segue, como de qualquer um de nós", explicou Sandra.


A apresentação seguinte foi sobre o ambulatório de Saúde Mental que ao ser inaugurado em março deste ano, facilitou o atendimento para os usuários moradores da Zona Norte. A equipe é formada por psiquiatras, psicólogos, assistente social e técnico que faz visitas domiciliares. O serviço é prestado no horário de funcionamento da unidade: de segunda a sexta, das 8h às 17h. Os pacientes são referenciados pelas unidades de Médico de Família ou através dos outros dispositivos da Saúde Mental ou, ainda, por marcação direta na Policlínica. O ambulatório serve também para quem frequenta a Policlínica por outras doenças e que também precisam de acompanhamento psicossocial.


A psiquiatra Beatriz Pimenta e a assistente social Marisa Alvares explicaram como o dispositivo visa garantir cuidado integral aos usuários, na ajuda da superação de problemas por questões emocionais e no direito à dignidade e cidadania.


"Se todos aqui como profissionais de saúde se dedicarem 3 minutos para ouvir os usuários e seus familiares, no que eles têm para desabafar, vai fazer toda a diferença e evitar agravamentos de depressões e tentativas de suicídio", afirmou Beatriz ao dizer que os profissionais também podem ser atendidos pelos profissionais desse ambulatório.


De acordo com Claudia Marcia, coordenadora de Vigilância em Saúde da unidade, representando a diretora Maria Conceição Stern: "o acolhimento do usuário é a característica primordial do nosso trabalho aqui na Policlínica".


Outras atividades da Semana da Enfermagem e Serviço Social


Policlínica Regional do Largo da Batalha:

  • 14/05, às 14h, palestra sobre feridas e parada cardiorrespiratória

  • 15/05, às 9h30, palestra sobre eletrocardiograma

  • 16/05, às 9h30, palestra sobre biossegurança

 

Policlínica Regional Sérgio Arouca (Vital Brazil)

  • 16/05, às 10h, palestra sobre autocuidado

 

Policlínica de Especialidades Dr. Sylvio Picanço (Centro)

  • 30/05, às 9h, Seminário da Enfermagem e Serviço Social

 
Banner
Banner
DIGITE SUA BUSCA
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner